Com alerta para índice de mortes e feridos, Maio Amarelo foi aberto nesta quinta (02/05)

64

Fonte: Assessoria da Prefeitura Sinop /GC Noticias

A Prefeitura de Sinop, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, abriu nesta quinta-feira, 02/05, às 8h
da manhã, a campanha Maio Amarelo. Com o tema “No trânsito, o sentido é a vida”, a ação tem como foco reforçar a pauta de discussão sobre segurança viária, construção de uma agenda coletiva entre sociedade e segurança pública para um trânsito mais seguro e melhor. Na primeira atividade do mês, uma blitz educativa será realizada no cruzamento entre as avenidas Jacarandás e Flamboyants, próximo ao Estádio Massami Uriu.

“Esta é uma campanha de conscientização em nível internacional e que significa atenção, reforço às ações já realizadas durante o ano com foco na segurança no trânsito”, pontua a guarda civil municipal Sara Borges, coordenadora do setor de Educação para o Trânsito, na Secretaria de Trânsito.

Conforme a coordenadora, a Guarda Civil Municipal realizará palestras tanto em escolas públicas quanto privadas, empresas públicas e privadas, além, também, de blitz educativa para chamar a atenção da sociedade quanto ao alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Trabalhos desta natureza, que tradicionalmente já são executados pelas equipes, serão intensificados neste Maio Amarelo.

Em Sinop, quando o assunto é trânsito, as estatísticas revelam um cenário preocupante. Só no último ano, 74 pessoas morreram em acidentes diversos em vias públicos do município. O número de acidentes passou dos 2,1 mil e envolveu, na grande maioria, motociclistas.

A estimativa mais recente indica que em Sinop existem, em circulação, pouco mais de 48 mil motocicletas e cerca de 56 mil carros. A população sinopense, de acordo com o IBGE, gira em torno de 135 mil moradores. Isso significa que, em média, existe uma moto para cada três pessoas e um carro para cada dois cidadãos na cidade.

O mais preocupante é que, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde, nos anos de 2016, 2017 e 2018 os acidentes de trânsito ocuparam o 1° lugar com relação a óbitos de causas externas (acidentes, suicídios, homicídios entre outros). As unidades de saúde do município também registram elevado número de leitos hospitalares que são ocupados por pacientes que necessitam de atendimentos de urgência e emergência devido a colisões no trânsito.

MAIO AMARELO

Um documento editado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o período de 2011 a 2020 como a “Década para a Segurança no Trânsito”. Segundo a entidade, cerca de 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano como resultado de acidentes de trânsito. Mais da metade das mortes está entre os usuários de via pública, isto é, pedestres, ciclistas e motociclistas. A entidade aponta, ainda, que as lesões causadas no trânsito são a principal causa de morte de crianças e jovens entre 5 e 29 anos.

A entidade alerta que, caso o quadro não se altere, 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. O número de pessoas sobreviventes, mas com sequelas deve oscilar entre 20 milhões e 50 milhões a cada ano.