Sem chance no Palmeiras e sondado por clubes rivais, Borja não descarta deixar Brasil

Fonte: GloboEsporte

Sem atuar há sete jogos e fora também da partida contra o CSA – segundo informou o Palmeiras, devido a uma pancada no joelho esquerdo –, Borja não descarta se transferir a outra equipe onde possa ter espaço para voltar a jogar.

O problema é que o atacante colombiano permanece sendo a contratação mais cara da história do clube. Em 2017, ele teve 70% de seus direitos econômicos comprados por US$ 10,5 milhões (cerca de R$ 34 milhões, na época).

Com poucas oportunidades no momento sob comando do técnico Luiz Felipe Scolari, Borja está em baixa, desvalorizado. A ponto de começar a ser especulado em rivais do futebol brasileiro, como Santos – a pedido do técnico Jorge Sampaoli – e Botafogo.

No último domingo, quando não ficou nem sequer no banco de reservas para o duelo com o Fortaleza, na arena, o atacante fez trabalhos físicos em uma academia particular, como ele próprio mostrou ao publicar fotografia em sua conta no Instagram.

O Palmeiras e o estafe de Borja dizem não ter recebido qualquer proposta no Brasil. Algo, inclusive, que nem é levado em consideração, dado o dinheiro investido na contratação.

Caso não surja uma proposta para que o Palmeiras possa ao menos recuperar o investimento, feito com aporte da Crefisa, uma possibilidade avaliada é a de empréstimo para clubes do exterior. Em todas as janelas de transferência chegam sondagens e ofertas de outros países.

A melhor temporada da carreira de Borja foi em 2016, quando conquistou a Copa Libertadores e foi eleito o melhor jogador da América do Sul enquanto defendida o Atlético Nacional. Voltar ao futebol colombiano, inclusive, já começa a ser cogitado pelo centroavante.
Para a partida desta quarta-feira contra o CSA, na ausência do camisa 9 em Maceió, Felipão relacionou Arthur Cabral e Deyverson (titular nas últimas sete partidas do ano).

Com uma série de titulares poupados da viagem à capital alagoana, o Palmeiras irá a campo com uma escalação repleta de reservas.