Abstenções, brancos e nulos chegam a 31% em MT

Fonte: FolhaMax

Quase 700 mil eleitores deixaram de votar, votaram em branco ou anularam o voto em Mato Grosso, no segundo turno das eleições a presidente nesse domingo (28). Somados, correspondem a 31,12% do total do eleitorado do estado.

As abstenções somam 26,23%, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O percentual de abstenções cresceu em relação ao primeiro turno, quando 24,55% dos eleitores não compareceram às urnas para votar no último dia 7.

Os estados com maior proporção de abstenções, votos brancos e nulos foram Minas Gerais (42,7%), Rio de Janeiro (42,1%) e São Paulo (39,6). Contudo, o percentual de eleitores que votaram em branco ou anularam o voto diminuiu no segundo turno. Os 84 mil que votaram em branco ou anularam o voto correspondem a 4,89%. No primeiro turno, esse percentual era de 7%.

O eleitor que não votou deve comparecer a um cartório eleitoral no prazo de 60 dias para justificar a ausência. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), o valor da multa é decidido pelo juiz eleitoral e pode variar entre R$ 3 e R$ 3,50.

Em todo o estado, mais de 2,3 milhões estavam aptos para votar. O candidato eleito Jair Bolsonaro (PSL) ganhou a eleição com 66,42%, totalizando mais de um milhão de votos, contra Fernando Haddad (PT), que teve 33,58% e 549 mil votos válidos.

O percentual de votos nulos no segundo turno das eleições presidenciais de 2018 chegou a 7,4%, o maior registrado desde 1989, totalizando 8,6 milhões. Houve aumento de 60% em relação ao 2º turno da última eleição presidencial, em 2014, quando 4,6% dos votos foram anulados.

Os votos brancos somaram 2,4 milhões, ou 2,1%, neste 2º turno, pouco acima do 1,7% da última eleição presidencial. Ao todo, 31,3 millhões de eleitores não compareceram às urnas, o equivalente a 21,3% total, proporção similar ao do 2º turno presidencial de 2014. Somando os votos nulos e brancos com as abstenções, houve um contingente de 42,1 milhões de eleitores que não escolheram nenhum candidato, cerca de um terço do total.

Foram registradas 17 ocorrências e 16 pessoas foram presas em Mato Grosso no segundo turno das eleições. O juiz eleitoral Lídio Modesto explicou que a maioria dos crimes estão relacionados à boca de urna e violação do sigilo de voto. “As infrações diz respeito a boca de urna, violação de sigilo, e tentativa de aliciamento dos eleitores e pessoas que entravam com os celulares para gravar as urnas”, afirmou.