Aprosoja pede a ministra adiamento de parcelas de financiamentos e critica juros altos

Dirigentes da Aprosoja Brasil solicitaram, ontem, ao ministério da Agricultura o adiamento para 2020 das parcelas a serem pagas em 2019 dos planos de operações de investimento financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Eles se reuniram com ministra Tereza Cristina e ao secretário executivo Marcos Montes expondo que medida tem o objetivo de oferecer melhores condições de pagamento aos produtores em decorrência da seca que atinge diversas regiões produtoras de Estados como Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia desde meados de dezembro passado.

O presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz Pereira, disse que o endividamento no campo foi outro tema debatido durante o encontro. “O setor agrícola precisa de uma securitização. Os juros estão muito altos. Há pouco crédito disponível e o produtor se afogou. Na crise hídrica a situação piorou ainda mais. Poucas áreas são seguradas e financiadas. Isso vai afetar mais de 80% dos produtores brasileiros”, analisou, através da assessoria.

Segundo o dirigente, ofertar um seguro agrícola amplo é uma prioridade para todo o setor. “O seguro agrícola atualmente cobre pouco mais de 14% das áreas utilizadas na agricultura. Os produtores terão muita dificuldade para saldar os custeios para este ano. Os custos estão muito elevados e os preços das commodities muito baixos no mercado externo. Precisamos alongar o custeio para que o produtor possa continuar na atividade”, reforçou.

Fonte:Só Notícias