Gabriel Jesus vê Brasil mais pressionado e espera Argentina no ataque: “É o maior clássico”

Fonte: GloboEsporte

Gabriel Jesus vai disputar o quarto clássico pela seleção brasileira contra a Argentina nesta terça-feira, na semifinal da Copa América. Ainda sem ter marcado gols, o atacante, que recuperou a condição de titular durante o torneio, admite que a pressão pela vitória será maior para o Brasil, dono da casa no Mineirão, naquele que considera o maior clássico de seleções do mundo.

– Para mim é o maior clássico. Trata-se de duas seleções gigantes, de dois países com um histórico muito bom. Óbvio que, em se tratando do momento e por jogar em casa, o Brasil tem mais pressão para ganhar sim, mas é um clássico e a Argentina também tem – afirmou o camisa 9, que não imagina os argentinos jogando defensivamente.

– Não acredito que a Argentina venha para se defender. Ela tem jogadores de qualidade que atacam muito, acredito que virão para cima da gente também. O jogo assim rende mais, fica melhor para jogar e assistir.

Apesar de ainda não ter marcado contra o maior rival do Brasil, Gabriel Jesus acumula dois momentos marcantes. Em seu primeiro clássico, também no Mineirão, deu bela assistência para Neymar fazer um dos gols da vitória por 3 a 0. No seguinte, em 2017, acabou sendo acertado pelo zagueiro Otamendi, seu companheiro de Manchester City, e precisou fazer uma cirurgia na face.
O lance, aliás, foi citado por Thiago Silva na entrevista do último sábado, como exemplo de que a rivalidade entre brasileiros e argentinos continua forte.

– Tive um pequeno desentendimento com o Otamendi e o Messi, em função da cotovelada no Jesus. Ficou um xingamento momentâneo ali, coisa de campo. Fora, somos profissionais, nos respeitamos. Achei que o Otamendi foi um pouco agressivo, principalmente por jogar com o Jesus, mas ficou ali. Tenho total respeito por eles – afirmou o zagueiro.

Otamendi não é o único companheiro que Gabriel Jesus terá de enfrentar nesta terça-feira. O atacante Aguero, titular do City justamente na posição que o brasileiro tenta conquistar, também estará no comando do ataque da Argentina. Nove anos mais jovem, Gabriel Jesus aproveitou para fazer um momento de reverência ao parceiro, agora adversário.

– Antes de eu virar profissional, via ele jogar na Premier League, fazendo gols e sendo artilheiro. Ter um companheiro desse nível brigando por posição me fez aprender muito, e sigo aprendendo. É um cara gente boa, mas será ele defendendo o dele e eu o meu. Não fiz aposta, mas espero poder zoar muito ele e o Otamendi quando eu voltar – disse.