Geller critica governo por ‘não liberar nada’ para agronegócio e ministro promete atenção

O líder da bancada de Mato Grosso, deputado federal Neri Geller, esteve em reunião, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para cobrar prioridade no Plano Safra, a política de armazenagem de grãos, garantia do preço mínimo do milho, verba de custeio e orçamento para programas como PEP (prêmio de escoamento de produto) “e Pepro ( prêmio equalizador pago ao produtor rural). “Antes dessa audiência com o ministro estive com o presidente da Conab justamente para traçar uma linha de atuação e atender, de forma urgente, a agricultura brasileira. O setor está travado, o governo não libera nada, e estão ‘errando na dose de cautela’ sobre o setor que sustenta a economia do país”, criticou Geller.

Ele já cobrou providências da ministra de Agricultura, Tereza Cristina, em audiência pública na Câmara dos Deputados, semana passada, e hoje disse que o ministério da Agricultura deve retomar a “rédea” nas negociações junto ao mercado internacional, já que o Brasil é o maior produtor de café e cana-de-açúcar do mundo, segundo maior produtor de soja e aves, terceiro de milho e 4º maior produtor mundial de suíno.

“Trabalhamos muito até aqui para abrir mercado e inserir o Brasil como grande plêiade mundial do agronegócio. Acompanhamos a questão interna como a política de tabelamento do frete, a criação de novos impostos sobre a produção (a exemplo do Fethab em Mato Grosso), a alta dos preços de produtos importantes na produção (insumos) – como fertilizantes e defensivos (devido à dependência de importações) e o óleo diesel (impactado por políticas públicas instáveis), tudo isso somado, gera grande volatilidade. Precisamos confiar na atuação do governo em defesa do setor”, expôs Geller, que foi ministro da Agricultura no governo Dilma.

Só Notícias/Agronotíciuas (foto: assessoria)