Quatro desistem da política em Mato Grosso

Com a corrida eleitoral a todo vapor, alguns políticos que hoje ocupam uma vaga como deputado estadual e federal decidiram não buscar a reeleição. O argumento é ter tempo para se dedicar mais a vida profissional e pessoal. Na Assembleia Legislativa, três dos 24 parlamentares vão deixar, definitivamente, a vida política. Na Câmara Federal, um dos oito deputados por Mato Grosso não entrou na disputa em busca de outro cargo eletivo.

Voltar ao convívio familiar é o principal motivo alegado para a decisão. O federal Ságuas Moraes (PT) afirma que a política exige muito tempo de quem exerce um mandato. “Estava sentindo falta de estar próximo à família. Foram 22 anos dedicados a política”, disse o petista, que pretende voltar ao trabalho como pediatra em Juína, onde mora. “Estou estudando para volta ao que eu amo: a medicina”.

Tendo exercido apenas um mandato na Assembleia Legislativa, Wancley Carvalho (PV) também tem buscado os estudos para voltar a trabalhar no que considera “um sonho”: lecionar Geografia para universitários. “Profissionalmente, volto a atuar na Polícia Civil, em Pontes e Lacerda, onde minha família mora. Também vou voltar a estudar para tentar um mestrado na Universidade Federal de Mato Grosso”, antecipa o deputado que já havia anunciado em fevereiro que deixaria a vida pública.

Quem também deve fazer uma reciclagem na sua área da atuação para voltar ao mercado de trabalho é o deputado estadual José Domingos Fraga (PSD). “Quero, além de me dedicar ao meu filho, voltar para minha área de origem, que é a agronomia. Antes, quem predominava nesse mercado era o setor público, hoje temos grande presença das multinacionais e espero que, com meu histórico, eu consiga voltar ao mercado”. Zé Domingos foi eleito com 21.121 votos e está no terceiro mandato consecutivo como deputado estadual.

Outro que surpreendeu com sua desistência foi o deputado Baiano Filho (PSDB). Ele chegou a anunciar uma tentativa à reeleição, mas deixou o grupo aliado do governador Pedro Taques (PSDB) para coordenar a campanha do adversário, Mauro Mendes (DEM). O parlamentar já se desfiliou do PSDB e disse que, com o fim das eleições, quer se dedicar ao final de seu mandato e, logo depois, a sua família. “Quero poder estar mais próximo dos meus familiares e não sei ainda se voltarei a concorrer a algo”, disse. Na última eleição, Baiano Filho teve 43 mil votos e foi o quarto deputado estadual mais votado no Estado.

A Gazeta (foto: assessoria) Só Noticias