Rentabilidade impulsionará aumento de área com algodão em Mato Grosso, diz Conab

Mato Grosso deve expandir a área plantada com algodão na safra 2018/19. A previsão foi divulgada, nesta semana, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o levantamento, o Estado deve semear 956 mil hectares, 22,9% a mais na comparação com os 777,8 mil plantados na safra 2017/18.

A Conab credita a perspectiva a dois fatores. O primeiro é a “excelente rentabilidade atribuída ao algodão”. A segunda é o cenário adverso, no que diz respeito à margem de lucro das culturas concorrentes, plantadas na segunda safra como o milho e feijão. Conforme a companhia, o crescimento deverá ocorrer por substituição de áreas antes destinadas a essas culturas.

Apontando crescimento na área, a Conab estima que Mato Grosso aumentará a produção para 3,6 milhões de toneladas de algodão em caroço, 21% a mais que os 3,2 milhões registrados na última safra. Já a produção da fibra em pluma deve chegar a 1,5 milhão de toneladas, segundo a companhia.

O aumento de área plantada já havia sido previsto pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). A instituição, no entanto, prevê crescimento de 18,1%, chegando a 937 mil hectares, em decorrência da “valorização dos preços da pluma, que possibilitaram o adiantamento da venda de grandes volumes da fibra”. De acordo com o instituto, os mato-grossenses devem plantar 28,8 mil hectares, na primeira safra, enquanto que, na segunda safra, semearão 908,9 mil hectares.

Na estimativa do Imea, Mato Grosso deve produzir 3,9 milhões de toneladas de algodão em caroço e 1,6 milhão de toneladas de pluma de algodão, “o que representa um acréscimo de 16,9% e 17,1%, respectivamente, ante a safra 2017/18”.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: arquivo/assessoria)