Sorriso é o primeiro município de MT a implantar dermatologia por telemedicina

Profissionais já estão sendo capacitados; veja como funciona

Fonte: Portal Sorriso

A Prefeitura de Sorriso, através da Secretaria de Saúde e Saneamento, passa oferecer, a partir desta semana pela rede pública de saúde, o atendimento dermatológico por meio da Telessaúde. O método Teledermatologia foi anunciado nesta quarta-feira (17).

O sistema de teledermatologia, que está em fase de implantação em Sorriso, é o primeiro no Estado de Mato Grosso. “Sorriso sai na frente com esse avanço na implantação dessa especialização. Em Santa Catarina já funciona há 10 anos. Esse é um método de atendimento funcional, seguro e rápido. O Telessaúde faz uma imagem para uma análise inicial e um diagnóstico rápido, com isso chegará aos casos que precisam de atendimento específico que serão encaminhados, trazendo agilidade no atendimento”, explicou o coordenador do Telessaúde do Estado de Santa Catarina, Harley Wagner.

O coordenador de campo do Telessaúde de Mato Grosso, Valdelírio Venites, explica como é o processo na prática. “A teledermatologia é uma das atividades do Núcleo de Telessaúde, que é realizada pelo exame dermatológico à distância a partir da captura e transmissão de fotografias digitais (padrão macro) ou dermatoscopia digital, realizada por profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde e enviadas por meio da Plataforma de solicitação de Teleconsultoria, e posterior avaliação destas imagens por teleconsultores dermatologistas do Hospital Universitário Júlio Müller”, disse.

Os profissionais de saúde do município de Sorriso recebem hoje (17) e nesta quinta-feira (18) a capacitação de em teledermatologia. O núcleo do Telessaúde também recebeu o equipamento para realização das fotografias utilizadas nos laudos.

“A saúde de Sorriso dá um grande passo na área dermatológica com a implantação desse sistema, que vai agilizar os atendimentos com a especialista que atende nossos usuários e dar celeridade aos casos que precisa de urgência para o tratamento”, disse o secretário de Saúde e Saneamento, Luís Fábio Marchioro.