Trump e Kim se encontram no Vietnã em segunda cúpula histórica entre os dois líderes

Fonte: G1

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se encontraram nesta quarta-feira (27) em Hanói, no Vietnã. Uma reunião a sós seguida por um jantar com assessores marcam o início desta segunda cúpula com os dois líderes, que vai durar até esta quinta-feira (28).

Kim e Trump se encontraram no hotel de estilo colonial francês Sofitel Legend Metropole às 18h30 horário local (8h30 em Brasília).

“Seu país tem um potencial econômico tremendo. Você terá um futuro tremendo para seu país, você é um grande líder. Vamos ajudar”, disse Trump a Kim diante da imprensa.
“Achei que a primeira cúpula foi um grande sucesso, e estou esperançoso de que esta será igual ou melhor que a primeira”, completou Trump.

Kim elogiou o que chamou de “corajosa decisão política” de Trump de promover esse segundo encontro.

“Fomos capazes de superar todos os obstáculos e estamos aqui hoje. Estou certo de que um resultado será alcançado desta vez, e será bem recebido por todas as pessoas. Eu farei o meu melhor para que isso aconteça”, declarou Kim Jong-un.
Após um breve pronunciamento à imprensa, eles seguiram sozinhos para um encontro de cerca de vinte minutos. Depois, eles foram a um jantar de trabalho, acompanhados por assessores.

Pelo lado americano, estiveram presentes no jantar o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o chefe de gabinete interino da Casa Branca, Mick Mulvaney. Já

Kim estava acompanhado do chefe da inteligência norte-coreana, Kim Yong-chol, e do ministro de Relações Exteriores, Ri Yong Ho.

A agenda de Donald Trump para o segundo dia da cúpula não foi divulgada.

Oitos meses após Cúpula de Singapura
Os últimos meses foram pontuados por trocas de cartas privadas e declarações amigáveis entre Kim e Trump.

Porém, oito meses depois do primeiro encontro, em Singapura, a nova cúpula reacende o debate sobre o programa nuclear da península coreana.

Apesar de os testes balísticos e nucleares norte-coreanos estarem suspensos, não houve avanços concretos para que fosse colocado em prática o fim do programa nuclear norte-coreano. Até agora, um cronograma para a desnuclearização não foi estabelecido.

Antes do início do encontro, Trump afirmou que existem especulações sobre suas intenções com relação ao encontro com líder norte-coreano. “Kim Jong-un e eu vamos nos esforçar muito para resolver algo sobre a desnuclearização e, em seguida, tornar a Coreia do Norte uma potência econômica”, declarou.

Análise: Qual a importância de Kim para Trump?
Mesmo com o novo tom adotado pela administração americana, que sugere que a Coreia do Norte deixou de ser vista como uma iminente “ameaça nuclear”, as rigorosas sanções econômicas contra Pyongyang seguem em vigor.

Os Estados Unidos deixaram claro, anteriormente, que elas devem permanecer enquanto não houver a “completa e definitiva desnuclearização” da península coreana.

Na manhã desta quarta, antes do encontro com Kim, Trump se reuniu com o presidente do Vietnã e secretário-geral do Partido Comunista no poder, Nguyen Phu Trong.

Viagem de trem
Kim Jong-un foi de trem para o Vietnã, como faziam o seu avô e o seu pai, Kim Il-sung, que sempre utilizavam esse meio de transporte para fazer visitas dentro e fora da Coreia do Norte.

O líder norte-coreano deixou o seu país no sábado (23) e percorreu mais de 4 mil km em cerca de 60 horas para chegar a Hanói na véspera do encontro.

Na primeira cúpula com Trump, ele viajou para Singapura em um Boeing 747 da Air China. De acordo com o jornal “The New York Times” em um artigo publicado no domingo, “a viagem de trem sugere que ele está relutante” em pedir emprestado um avião chinês novamente.